Atenção: habilite seu browser para o uso de Javascript!


Discipulado

Características dos Verdadeiros e dos Falsos Discípulos

Por Dr. John F. MacArthur, Jr

Importante: antes de submeter este texto à impressão, clique em "Texto Integral",
ao final desta página, para não comprometer a divisão do texto em páginas na impressora.

Página 6 de 8
Ir para a página:   01   02   03   04   05   06   07   08   

... ou renunciar a você”. Temos Ele conosco.

Bem, no versículo 21, de volta a João – só um segundo, vou ler – ele diz: “Então eles de boa mente o receberam no barco; e logo o barco chegou à terra para onde iam”. Há um milagre, eles ficam no barco e, uau... dessa maneira: Cristo fica no barco, Pedro volta para ele e imediatamente está em terra. Esse barco cobriu alguns quilômetros em um piscar de olhos.

Agora, de volta a Mateus 14, lemos apenas esta pequena passagem: “E, quando subiram para o barco, acalmou o vento. Então aproximaram-se os que estavam no barco, e adoraram-no, dizendo: És verdadeiramente o Filho de Deus”(12). E nisso você tem a terceira característica de um verdadeiro discípulo: a primeira é a obediência, a segunda é um desejo de sua presença e a número três, a adoração.

Amigos, eles caíram sobre seus rostos, a verdadeira adoração, humildade e um senso de pecado, um sentimento de fragilidade, um sentimento de miséria, um sentimento de inadequação, um senso de relativa obscuridade, caindo aos pés de Cristo em adoração. Isso é o verdadeiro culto. Ah, como eu amo essa história em Marcos 5 sobre o lunático que estava se mutilando e vivia em túmulos – vocês conhecem – e Jesus veio e tirou os demônios para fora dele! E a Bíblia diz: “e viram o endemoninhado, o que tivera a legião, assentado, vestido e em perfeito juízo, e temeram”(13) Não é uma coisa linda? Por que ele foi aos pés de Jesus? Isso é culto... isso é culto! É onde cada discípulo gasta seu tempo: aos pés de Jesus Cristo. Não dizendo: “Cristo, faça isso por mim... Cristo, faça aquilo para mim”; ele fica aos seus pés somente adorando, adorando. E, sabem de uma coisa? Essa é a forma como ela vai ser um dia, porque Paulo ensinou aos Filipenses no capítulo 2 versículo 10: “Para que ao nome de Jesus se...” o quê? “dobre todo joelho". Isso é o que Ele merece.

Ah, o verdadeiro discípulo, obediente, tem apenas a presença de Cristo e uma verdadeira adoração, somente por adorar. Se você realmente O ama, você não precisa ver Seus milagres. Não precisamos ver qualquer superpoder expresso por Cristo, só o fato de tê-Lo já é o suficiente... para a adoração. Em João capítulo 6 quero que vocês vejam os versículos de 22 a 29, o caráter do falso discípulo. Vocês viram o discípulo autêntico, verdadeiro, obediente, cristocêntrico, apenas Sua presença é suficiente para a verdadeira adoração. Agora eu quero que vocês vejam exatamente o contrário. Um falso discípulo é desobediente. Ele não quer a presença de Cristo, ele quer o Seu poder. E em terceiro lugar, ele não adora a Cristo, ele adora a si mesmo. Exatamente o oposto do que nos é ensinado entre os versículos 22 a 29.

Observe a desobediência ao chegarmos no versículo 22. “No dia seguinte”: agora estamos um dia a frente, os discípulos e Cristo chegaram em Cafarnaum; vamos para uma outra borda, em que o milagre dos cinco mil tinha tido lugar. Agora vamos para essa borda, o dia seguinte, quando as pessoas estiveram do outro lado do mar...

Agora, esperem um minuto: o que eles estão fazendo lá? Cristo lhes disse para ir embora. Cristo lhes ordenou que se dispersassem e saíssem. Bem, isso é apenas uma característica dos falsos discípulos: eles não obedecem. Cristo disse: “vão embora”, eles ficaram lá. E assim voltamos por toda a costa, o dia seguinte, em que eles estão de pé ao redor coçando suas cabeças, de fato e dizendo: “Espere um minuto”, afirma o versículo 22, “a multidão que estava do outro lado do mar, vendo que não havia ali mais do que um barquinho”. Eles recordaram a noite passada, havia um barco aqui. Agora, os discípulos viram chegar nesse barco, mas Jesus não chegou. Onde está Jesus? Vejam, essa é a ideia. Com exceção daquele em que os discípulos entraram, somente aquele barco, além do que Jesus não esteve com seus discípulos no barco, senão que os discípulos foram embora sozinhos. Agora eles estão tentando descobrir onde está Jesus. Os discípulos vieram, Jesus não. Não existem quaisquer outros barcos. Vejam, o primeiro problema é que eles não deveriam sequer ter estado lá. Eles foram desobedientes. Eles disseram: “tu és o profeta de que Moisés falou, vamos fazer-te rei”. Em toda essa homenagem, eles não se importaram com Ele. O apóstolo Paulo diz, ouçam isto, em Romanos 6: “sois servos daquele a quem”... o quê? “obedeceis”(14). Eles eram falsificações. Eles deveriam ficar bem longe. Eles estavam sentados ali, coçavam a cabeça, dizendo: “Onde está Jesus? Onde ele foi”?

Bem, no versículo 23 eles têm um pouco de ajuda em sua busca porque, apesar de tudo, está escrito: “Contudo, outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades”, que está à margem sul do Mar da Galileia: toda uma frota de barcos vieram de Tiberíades. Eventualmente, alguns dos da multidão tinham se dispersado; havia apenas uma porção restante, a dos desobedientes. “Outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades, perto do lugar onde comeram o pão, havendo o Senhor dado graças”. Barcos chegavam. Provavelmente já tinham ouvido falar de algum que tivesse ficado que isso aconteceu e que todos eles... todos estes barcos navegaram para lá e chegaram. Bem, foi esse o tipo de ajuda às pessoas pobres que tentaram descobrir onde Jesus estava, uma vez que o versículo 24 registra: “Vendo, pois, a multidão que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus”.

O que se sucedeu foi que todos os barcos de Tiberíades chegaram lá, todas estas pessoas tão somente entraram em seus barcos e seguiram para Cafarnaum. Era uma solução perfeita. Eles carregavam toda a multidão que ainda estava pendurada ao redor do espaço gramado ali ao redor, e eles os conduziram a todos para Cafarnaum, procurando por Jesus. Sabe, se tudo o que tivéssemos fosse as três palavras “procura por Jesus”, poderíamos dizer que esta é uma bela história... procurando por Cristo. Mas vocês sabem que esse é o problema: elas procuraram Deus por todas as razões erradas... todas as razões erradas. Eles O procuraram porque queriam usá-lo por aquilo que Ele podia lhes fazer. Eles eram... ...


Texto Integral


Página 6 de 8
Ir para a página:   01   02   03   04   05   06   07   08   

Pregação ministrada em 14/10/1970, transcrita do original em áudio. Traduzida por Cleber Olympio, conforme original em inglês disposto no sítio do ministério do Dr. John MacArthur, Jr.

NOTAS

(1) Na verdade John MacArthur citou Jo 2:25, no original, embora tenha-se grafado Jo 2:24 (N. do T.)
(2) O trecho original continha aspas, mas ele é uma conclusão baseada no texto de Jo 2:24-25, não uma citação bíblica (N. do T.)
(3) Original: "Why don't you go visiting Tuesday?", expressão idiomática que indica um dia da semana qualquer, aleatório (N. do T.)
(4) 5 milhas, no original (N. do T.)
(5) Atualmente parte do arquipélago que forma o país de Vanuatu, na Oceania (N. do T.)
(6) Referência a Fp 4:11 (N. do T.)
(7) Entre 5,25 e 5,75 milhas, respectivamente, no original (N. do T.)
(8) Confira Jo 6:1-13 (N. do T.)
(9) O autor faz uma interpretação alegórica do pensamento que Pedro pôde ter naquele momento, imaginando um diálogo entre Pedro e Jesus (N. do T.)
(10) Referência a Jo 6:68 (N. do T.)
(11) Jo 6:28b: “Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas”. Veja nota 9. (N. do T.)
(12) Mt 14:32-33 (N. do T.)
(13) Mc 5:15b (N. do T.)
(14) Rm 6:16 (N. do T.)





RecuarPara o alto


Exare suas ponderações
» Comentários até agora: 4.

Em 30/01/2012, às 08:34, Cosme, de Japeri, ponderou:
Os senhores nao respondeu a minha pergunta a respeito do nome.
Atos 4.12 Fil. 2.9, Pv 30.4.
Se o nome nao importa entao porque o Altissimo deu o nome a seu filho?A escritura fala que o coracao do homem e enganoso.
Procura passa para as pessoas a verdade nao importa se vai doe o que importa e que verdade e nao o que voce acha.
Em 29/08/2009, às 13:57, Cleber, de Campinas, ponderou:
Cosme, no conceito bíblico o termo "nome" tem a ver com a essência do caráter do indivíduo, não sendo apenas um título, como nós ocidentais somos tentados a pensar. Dessa maneira, temos salvação em Cristo em seu Nome, isto é, na pessoa dele, no fato de ele ser o Redentor de todo aquele que nele crê. Por isso, o cristão não tem de dar ênfase ao modo como se escreve, pois isso varia de idioma para idioma, mas sim e somente a Pessoa de Cristo. Apegar-se à forma é coisa de fariseu. Abraço.
Em 29/08/2009, às 13:10, Cosme Bezerra De Souza, de Japeri, ponderou:
Gostaria de sabe dos amados se vc sabem o verdeiro nome do Pai, do Filhio e do Espirito Santo.
Pois as escrituras fala que so tem salvação no nome?
Em 29/08/2009, às 13:03, Cosme Bezerra De Souza, de Japeri, ponderou:
João 3:18
Diz "quem crer e for batizado sera salvo, mas quem não crer ja esta condenado. Porque não creu no nome do filho de deus" A pergunta e essa que nome eu devo crer para ser salvo se a letra "J" foi criada no seculo XIV.

Comente o texto
Nome:  

Cidade:  

E-mail (não será publicado):  

Comentários:  

» Você pode digitar mais 1024 caracteres.
Digite a seguir o que você lê abaixo:  
5Q83Nj9


 

Importante: utilize este formulário para ponderar somente sobre o texto acima. Comentários sobre a nossa página devem ser postados na seção Contato.
Busca de Estudo Bíblico
Busca

DTM - Dicionário de Termos Militares
Termos, gírias e expressões da linguagem militar do dia-a-dia. Consulte:

Bíblia Online
Bíblia Online

Capítulo:    Versículo:

     
Palavra(s):

    
Interatividade
RSS Militar Cristão Militar Cristão no Facebook Militar Cristão no Twitter Assine abaixo o Boletim de Notícias
E-mail: